Mapa do site
 
Apresentação
Estrutura
Colegiado
Imprensa
Contato
 
Inscrição no Conselho
Áreas de atuação
Códigos de Ética
Legislação
Instituições de Ensino
 
Notícias e artigos
Nutrição na mídia
Agenda de cursos e eventos
Mural de avisos
Audiovisual e publicações
Concursos
Licitações
Sites sugeridos
 
Início | Notícias e artigos | União entre Nutrição e Pedagogia ajudou a melhorar a alimentação dos alunos em Palmeira
NOTÍCIAS E ARTIGOS | PROFISSIONAL EM DESTAQUE

União entre Nutrição e Pedagogia ajudou a melhorar a alimentação dos alunos em Palmeira

CENTRAL DE NOTÍCIAS Nº 9 – JUNHO DE 2011

A nutricionista Sinara Marqueze Ribas idealizou um projeto contínuo de educação nutricional assim que se tornou responsável pelo setor na Prefeitura de Palmeira. Hoje, cinco anos depois, as mudanças e propostas que uniram Nutrição e Pedagogia e envolveram a comunidade já trazem resultado com a melhoria da alimentação dos alunos e premiações.

Trabalhando com dedicação e amor, gostando do que faz, tudo dá certo. As oportunidades aparecem, é só querer

– Sinara Marqueze Ribas

 

 

Formada pela Universidade Tuiuti em 2004, Sinara conta que escolheu cursar Nutrição porque os cuidados com a alimentação sempre estiveram presentes em sua vida. Com os avós diabéticos e hipertensos, a família toda precisava ficar atenta à alimentação para garantir que os problemas de saúde dos idosos não se agravassem.

Essa preocupação e interesse pelos alimentos e o cuidado com a saúde da família levaram Sinara a encontrar na Nutrição uma vocação. Dedicada, ela recebeu o prêmio “Sidney Lima Santos”, concedido pela universidade aos melhores alunos em cada turma durante os quatro anos da graduação.

Depois de formada, a nutricionista realizou uma pós-graduação em Nutrição Clínica (com treinamento em serviço) pela Faculdade Evangélica. Foi nesta área que ela atuou no início de sua carreira, atendendo a pacientes que realizavam quimioterapia em uma clínica especializada em Oncologia e em consultório.

Em 2006, Sinara fez concurso para a Prefeitura de Palmeira, onde foi contratada, em agosto, para trabalhar na área de alimentação escolar. A nutricionista passou então a visitar as 15 escolas, dois centros municipais de educação infantil e duas entidades atendidas pela Prefeitura. Somadas, as instituições atendem cerca de 3,4 mil estudantes.

 

“Foi o primeiro contato que eu tive com a área de alimentação escolar. Fazendo as visitas, conversando com as merendeiras eu percebi que os alunos tinham baixo consumo de frutas, verduras e soja”, contou.

Segundo a nutricionista, em Palmeira o próprio município dispõe de uma unidade para fabricar parte da merenda escolar, onde são produzidos alimentos a base de soja, como iogurte, leite de soja e pães.

Apesar de a produção ser enviada para as escolas, a nutricionista percebeu que o consumo era muito baixo e que os alunos acabavam levando alimentos de casa para consumir na escola, nem sempre tão saudáveis. “Era algo novo para eles, os alunos não experimentavam e diziam que não gostavam. Não havia o hábito de consumir verduras e frutas”, explicou.

Foi a partir desta dificuldade que a nutricionista idealizou um projeto para tentar melhorar o panorama da alimentação escolar: “Amiguinhos da Alimentação”. A primeira fase do projeto incluiu palestras sobre educação nutricional, falando da importância da boa alimentação. Para tanto, a profissional foi em todas as turmas e conversou com os estudantes.

A gente vai se tornando criativa quando trabalha com crianças, porque você se esforça para chamar a atenção, para que elas compreendam a importância do assunto

– Sinara Marqueze Ribas

Logo, professoras e merendeiras trouxeram o resultado. Elas perceberam que aos poucos os estudantes foram compreendendo a importância dos alimentos e passaram a consumir mais frutas e verduras e também a experimentar alimentos desconhecidos. “Eu expliquei a importância de experimentar no mínimo oito vezes um alimento antes de dizer que não gosta”, conta a nutricionista.

No ano seguinte, o projeto ganhou a ajuda de dois personagens especiais: o sojix e o kidleite. Os personagens ganhavam vida com a ajuda de duas coordenadoras pedagógicas e, em forma de teatro, levavam os alunos informações importantes sobre alimentação e o consumo de soja. “Os personagens interagiam entre eles e com as crianças e iam às escolas falando sobre a importância do consumo da soja, que é o ponto forte da produção local. As crianças amavam, se divertiam e aprendiam.”

Em 2009, foi a vez dos bonecos de fantoche explicarem para as crianças a importância dos alimentos. A peça “Heróis da Alimentação” foi apresentada com os fantoches manipulados pela nutricionista e pelas coordenadoras nos centros de educação infantil, instituições e nas turmas de primeiro ano do ensino fundamental do município.

A nutricionista conta que a peça era baseada na história de uma menina que não gostava de comer frutas e verduras e só se alimentava de frituras e doces. Durante o teatro havia bonecos como a cenoura, a maçã, o peixe que iam explicando porque esses alimentos são importantes.

“A gente vai se tornando criativa quando trabalha com crianças, porque você se esforça para chamar a atenção, para que elas compreendam a importância do assunto”, disse.

 
 
As crianças interagem com os personagens e adquirem conhecimento sobre a importância da alimentação saudável.
Fotos: arquivo pessoal
 
 

No ano passado, o foco do projeto foi envolver a comunidade, oferecendo palestra e oficinas para os pais dos alunos. O tema principal dos encontros, além da alimentação equilibrada, era o aproveitamento integral dos alimentos. Além disto, a nutricionista explicava sobre como é elaborado o cardápio da alimentação escolar. “Eu dava uma palestra mostrando como evitar o desperdício, diminuir o custo da alimentação e aumentar o valor nutricional das refeições utilizando coisas que geralmente a gente joga fora como as cascas das frutas e talos das verduras.”

Com a proposta, pais e alunos passaram a se unir para realizar receitas mais saudáveis. “As crianças passam a fiscalizar a alimentação dos pais, eles são multiplicadores da informação. Trabalhar com criança é realmente trabalhar com prevenção”.

Todos os anos, a comunidade também recebe as informações sobre alimentação adequada por meio de uma Feira Escolar, realizada pelos alunos da 4ª série. São 15 temas que a nutricionista sorteia nas turmas no início do ano letivo e que eles desenvolvem para apresentar para a sociedade em outubro. Entre os assuntos abordados pelos estudantes está a obesidade infantil, importância do cálcio na alimentação, ferro, vitaminas e minerais e desnutrição.

E o reforço para a fixação dos conhecimentos vem da sala de aula. Um material elaborado pela nutricionista e pela equipe pedagógica é impresso pela Prefeitura e distribuído para cada um dos estudantes. O material de apoio oferece atividades sobre temas ligados à Nutrição que são desenvolvidas em cada série pelo professor durante o ano letivo.

Em março deste ano, a proposta ganhou o prêmio “Construindo a Nação”, promovido pelo Sesi, como segundo melhor projeto especial do Estado. Na próxima semana, entre os dias 6 e 7 de julho, a iniciativa será apresentada como uma das propostas de sucesso no Congresso Nós Podemos Paraná.

“Cada ano nós focamos em uma área. O objetivo é oferecer não somente uma alimentação adequada e balanceada para os alunos e sim oferecer saúde por meio da prevenção e uma melhor qualidade de vida para a população de Palmeira no futuro”, ressaltou a nutricionista.

Atualmente, ela continua investindo em aprimoramento profissional e realiza uma pós-graduação em Nutrição Clínica Funcional, além de começar a atender a domicilio em Campo Largo. “Trabalhando com dedicação e amor, gostando do que faz, tudo dá certo. As oportunidades aparecem, é só querer.”


Leia também:

 

   
Carregando ferramenta de busca...

Dicas de busca | Mapa do site