Aprovada Lei do SIM que abre oportunidades para nutricionistas

segunda, 25 de fevereiro de 2019 às 09:00:00
pl cmc.jpg

CRN-8 assessorou o parlamentar Felipe Braga Cortes na elaboração de Projeto de Lei aprovado nesta segunda que amplia mercado de trabalho para nutricionistas

O Conselho Regional de Nutricionistas da 8a Região (CRN-8) trabalhou junto com o vereador Felipe Braga Cortes, assessorando o parlamentar na apresentação do Projeto de Lei Ordinária (PLO), que atualiza a Lei Municipal 10.168/01, no seu Artigo 2º. A aprovação do Projeto abre para os nutricionistas uma excelente oportunidade profissional, pois passam a contar com a preciosa opção de atuar como Responsáveis Técnicos em panificadoras. A versão atual da Lei permite que apenas médicos veterinários cumpram essa função. O projeto foi aprovado nesta segunda-feira, dia 25, em primeiro turno, na Câmara Municipal de Curitiba.

O que muda – A Lei Municipal 10.168/01 estabelece o Serviço de Inspeção Municipal (SIM) de produtos de origem animal e inclui a obrigatoriedade de que estabelecimentos comerciais que colocam esses produtos à disposição da população em refrigeradores, contem com um profissional de Medicina Veterinária como Responsável Técnico. A proposta de modificação da Lei se fundamenta no fato de que esses itens de origem animal, como bandejas de frios já fatiados e cortes de carnes em geral, já recebem inspeção específica na origem e, nos estabelecimentos, devem contar com um profissional de Nutrição como Responsável Técnico.

Segurança alimentar - Mariana Amabile Waideman (CRN-8 4188) é há 10 anos a nutricionista responsável pelo controle de qualidade da produção em uma das mais tradicionais panificadoras de Curitiba. Ela conta que é um trabalho desafiador e gratificante. “Sou responsável pela garantia do controle de qualidade. São dez anos de trabalho com foco em segurança alimentar e adequação às legislações. E esta alteração na lei, que oferece a possibilidade do nutricionista atuar como Responsável Técnico nas panificadoras e fiambrerias, aumentará nossas oportunidades”, diz.

Segundo Mariana, as atividades envolvem o treinamento aos manipuladores de alimentos, atualizações dos manuais de boas práticas, procedimentos operacionais padronizados, tabelas nutricionais e rotulagem de alimentos. Além disso, há o acompanhamento frequente das atividades dos diversos setores de produção, que envolvem confeitaria, panificação, chocolateria e café. “É muito gratificante poder acompanhar o processo de produção dos alimentos do local e saber que, de alguma forma, como nutricionista, eu contribuo com a qualidade dos alimentos produzidos e desta forma, garanto o zelo pela saúde dos consumidores”, explica.