Conscientização Contra a Obesidade Mórbida Infantil

segunda, 03 de junho de 2019 às 00:00:00
Comida de verdade

O dia 03 de junho é marcado pela Conscientização Contra a Obesidade Mórbida Infantil. A proposta é conscientizar a população sobre as formas de combater a doença. A Organização Mundial de Saúde aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. O número de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo poderia chegar a 75 milhões, caso nada seja feito.

 

O Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região (CRN-8) conversou com a nutricionista e conselheira Thatiely Schwarzbach de Souza Garcia (CRN-8 1705). Ela explicou que o sobrepeso e a obesidade são freqüentemente identificados em crianças de 5 anos em todos os grupos de renda e em todas as regiões brasileiras. “Alimentos industrializados, ricos em açúcar, sódio, gordura e pobres em nutrientes, tornaram-se parte da rotina alimentar. Ao mesmo tempo, há uma diminuição na prática de atividade física. Esse quadro faz com que 10% das crianças brasileiras de 5 a 9 anos já estejam acima do peso esperado para a idade”, explica.

Thatiely afirma que a modificação de padrão de consumo de alimentos está comprometendo a situação nutricional da infância e adolescência e promovendo o aumento das doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão e diabetes. “A mudança no estilo de vida é fundamental para tratar a obesidade. A prática diária de atividades físicas e uma dieta balanceada, rica em frutas, vegetais e cereais, com a redução do consumo de industrializados, açúcar e sódio, são procedimentos importantes para prevenir e combater essa doença”, diz.

A nutricionista informa que uma forma de ajudar a mudança é estimular a criança, tanto de forma lúdica como introduzindo no dia a dia a cultura da boa alimentação. “Podemos enfeitar a comida, fazer formas de animais, brinquedos, casas com verduras e legumes, transformar o momento da alimentação em uma atividade lúdica e saudável. Outra forma que traz bons resultados é fazer com que a criança participe do preparo da refeição, desde colheita, higienização, descasque até a montagem do prato. Com pequenos passos mudaremos esses dados alarmantes do futuro das nossas crianças”.

Boas notícias - O consumo de produtos ultraprocessados, que são uma da causa do aumento da obesidade, caíram nos últimos 11 anos. O Vigitel, sistema de Vigilância de Fatores de Risco para doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) do Ministério da Saúde, realizou uma pesquisa em 2017 que levantou o consumo de refrigerantes e sucos artificiais. A queda foi de 52,8%, saindo de 30,9%, em 2007, para 14,6% em 2016. Por faixa etária, a queda é maior (54,0%) entre os adultos com idades entre 25 e 34 anos e idosos com 65 anos e mais. As outras faixas etárias apresentaram queda em torno de 50,0%.

Outro dado positivo que o Vigitel mostra, é que o país tem desenvolvido uma mudança no consumo de frutas e hortaliças. Percebe-se que a ingestão regular (em 5 ou mais dias na semana) destes alimentos aumentou em ambos os sexos, mas o crescimento geral ainda foi menor que 5,0% no período de 2008 a 2017. Quando observado o consumo recomendado, 5 ou mais porções por dia em cinco ou mais dias da semana, houve aumento de mais de 20% entre os adultos de 18 a 24 anos e 35 a 44 anos.